Será que Steve Jobs sabia?

Os neurônios-espelho

Em 2004, Steve Jobs viu seu sonho tomar forma ao ver que os fones brancos estavam em toda a parte. Talvez ele já soubesse do poder dos neurônios-espelho, motivo pelo qual muitas vezes imitamos involuntariamente o comportamento de outras pessoas. Cada vez mais a neurociência vem auxiliando às marcas entenderem mais e melhor seus consumidores. Somos capazes de imitarmos movimentos, falas, pessoas, sem nos darmos conta. As marcas de moda (no conceito de Lovemarks, já falado por aqui), geralmente recebem um grande amor de seus consumidores e espelham milhares de pessoas a andarem exatamente iguais. Algumas se transformam em marcas amadas, outras caem no esquecimento rapidamente. Mas os neurônios-espelho estão ali, e nos fazem imitar mutuamente e continuamente os comportamentos de consumo dos outros. A lógica do consumo, de Lindstrom (2008) é uma excelente recomendação de leitura sobre neurociência e as marcas. E Humanizando Marcas sabe disto.